quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Memória muscular: seu corpo nunca esquece

Seus músculos não pensam, mas têm memória. E “lembram” dos treinos lá de trás. É por isso que logo recuperam o tamanho e a força depois de você ter parado de treinar durante um tempo, por causa de uma lesão ou de uma viagem longa. Pois é. A tal da “memória muscular” está provada por estudos científicos, que mostram que treinar musculação é mais ou menos como andar de bicicleta: seu corpo nunca se esquece como é que se faz. Seus músculos nunca se esquecem de quando foram grandes e fortes. Mas afinal, do que os músculos lembram exatamente? Antes uma explicação: o ganho de massa acontece porque as células musculares nascem “equipadas” para crescer, diferentemente de células de outras partes do corpo (pense no coração ou nos olhos, por exemplo). Elas são maiores e contém vários núcleos, o que permite que se repliquem e se combinem para formar novas fibras musculares, capazes de se contrair e estender. Como pequenas “fábricas”. Quando você treina, acrescenta núcleos às células musculares e pequenas células “satélites” começam a se acumular em volta desses núcleos, deixando os músculos maiores e mais fortes. Quanto mais os músculos são exigidos (quer dizer, quanto mais pesado você treina), mais novos núcleos vão surgindo, com suas respectivas células satélites. Treino firme e dieta adequada (com carboidratos e proteínas nas quantidades corretas) possibilitam a esses núcleos criarem fibras musculares maiores e mais fortes. Ou seja, seus músculos crescem e aparecem cada vez mais. Se você para de malhar, obviamente perde massa, porque as células satélites se atrofiam. Mas as células nucleares permanecem no corpo, até por longos períodos de tempo. Os cientistas divergem num ponto: alguns afirmam que os músculos retêm os núcleos por uns 3 meses, enquanto outros defendem que eles podem permanecer durante a vida toda. Segundo os especialistas, parece também que quanto mais cedo na vida você começa a treinar, mais benefícios da memória muscular colhe à frente. Porque com o passar do tempo, à medida em que envelhecemos, fica mais difícil começar a trabalhar do zero a hipertrofia muscular (pelo menos para a maioria das pessoas). Durante os períodos de sedentarismo, os músculos resistem à atrofia graças aos núcleos adquiridos. Mesmo que a fase parada se estenda durante muito tempo, os núcleos permanecem a despeito da perda das células satélites, apesar da diminuição muscular visível. Na hora em que você volta a treinar, os núcleos “despertam” e recomeçam a trabalhar. Segundo os estudos, a parte mais difícil de ganhar músculos, que é criar os tais núcleos, já está pronta e eles imediatamente entram de novo em ação, sintetizando proteínas. Isso significa que os longos períodos de tempo em que você deixou de treinar — por causa de uma lesão, excesso de trabalho ou uma viagem ao exterior, por exemplo — não vão comprometer sua meta de ganhar massa. Recuperar o tamanho e a força muscular não vai exigir tanto tempo e esforço quanto na época em que você começou do zero e foi à academia pela primeira vez (a gente acha que foi há muito tempo atrás). Graças à memória muscular. Ô memória boa! Créditos: Wilson Weigl/Homem no espelho
Share this article
 
Copyright © 2014 BLOG DO RICKY • Some Rights Reserved.
Template Design by RICKY MEDEIROS • Powered by Blogger
back to top