segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

George Michael preparava documentário sobre álbum 'Listen Without Prejudice Vol. 1'

Filho de pai cipriota e mãe inglesa, George Michael, nascido Georgios Kyriacos Panayiotou, morreu no domingo de Natal de 2016, aos 53 anos, em sua casa, em Oxfordshire, no Sudeste da Inglaterra. A informação foi confirmada em comunicado de seu agente. A causa da morte, segundo o "TMZ", foi um ataque cardíaco e o músico teria morrido dormindo. Em 2011, ele esteve entre a vida e a morte após cancelar sua turnê mundial e ser internado em Viena com pneumonia. Em 2014, foi atendido por duas ambulâncias em casa depois que um amigo acionou os serviços de emergência por motivo não revelado. Uma das principais estrelas do pop mundial, tendo vendido cerca de 100 milhões de discos ao longo da carreira, o inglês George Michael estourou na música nos anos 1980 graças a hits superdançantes como “Wake me up before You go-go”, que lançou quando fazia parte do duo Wham!. Com a banda, ele gravou também “Club Tropicana”, “Last Christmas” e a romântica “Careless whisper”. Em 1987, após três discos ao lado do Wham!, partiu em carreira solo com o disco “Faith”, que vendeu 20 milhões de cópias, ganhou o Grammy de álbum do ano e continha sucessos como “I want your sex” e “Father figure”. Seu segundo disco solo, “Listen without prejudice vol. 1” (1990), teve arranjos, produção e composições do próprio Michael, que optou por não aparecer na capa para se afastar da imagem de símbolo sexual que o marcava até então. Entre as canções estavam sucessos como “Freedom! ‘90”, cujo clipe trazia as supermodelos Cindy Crawford, Naomi Campbell e Linda Evangelista. Outros hits eram “Cowboys and angels”, “Mother’s pride” e “Praying for time”. O disco levou o cantor ao tribunal, numa disputa contra a Sony. Michael discordava do modo como o álbum havia sido comercializado pela gravadora, mas perdeu a causa. George Michael teria deixado quatro álbuns inéditos guardado em um cofre. O músico, morto no último dia 25, jamais completou a sequência do álbum "Listen without prejudice vol 1", embora algumas faixas que deveriam ter entrado no segundo volume tenham aparecido no disco beneficente "Red hot + Dance". Ele também trabalhou num disco, "Trojan souls", no começo dos anos 1990, que nunca foi lançado. A obra contaria com participações de Stevie Wonder, Elton John, Sade, Seal, Bryan Ferry e Janet Jackson. Algumas faixas atribuídas ao disco vazaram na rede ao longo dos anos. Ainda segundo o "Daily Mirror", outros dois álbuns quase finalizados também estariam guardados. Um deles foi batizado de "Extended plaything" e outro se chamaria "White light", como o single lançado por Michael em 2012. Andrew Ridgeley, ex-parceiro de Michael no duo Wham! foi a público se manifestar contra a campanha dos fãs, que queriam relançar o hit "Careless whisper" em homenagem ao ídolo. Em resposta a um seguidor do Twitter, disse condenar também o lançamento desse material inédito. "George Michael controlou toda a sua produção. Nem eu, nem ninguém temos o direito de transgredir esse princípio", disse ele. Ele lançaria mais quatro álbuns solo — o último foi “Symphonica”, em 2014, após dez anos de hiato. Em quase quatro décadas de carreira, Michael acumulou, além de grandes sucessos, inúmeras polêmicas e passagens por delegacias. Em 2010, ficou quatro meses preso na Inglaterra depois de dirigir sob efeito de drogas e bater seu carro em uma loja. Antes, em 2006, durante uma entrevista para um programa na TV inglesa, acendeu e fumou um cigarro de maconha na frente das câmeras. Ainda nos anos 90, em 1998, foi preso e condenado a serviços comunitários por atendado ao pudor ao tentar fazer sexo em um banheiro masculino com um policial à paisana, em Los Angeles. Com o escândalo, o astro se viu obrigado a assumir a homossexualidade e revelou que a canção “Jesus to a child” (1996) fora escrita como tributo ao estilista brasileiro Anselmo Feleppa, seu companheiro, que morreu em decorrência da Aids, em 1995. Michael e Feleppa se conheceram em 1991, quando o cantor esteve no Rock in Rio II, no Maracanã, na primeira e única oportunidade em que se apresentou para o público brasileiro. Os dois iniciaram uma relação amorosa e, pouco depois, Feleppa descobriu que era soropositivo. O inglês passou os quatro anos seguintes ajudando a cuidar do namorado, até sua morte. Segundo o cantor, foi a primeira vez em que ele teve uma relação amorosa com um homem. “Eu já transava por aí, mas tinha tão pouca experiência com homens que minha vida sexual era absurdamente inadequada para mim. Até conhecer Anselmo”, contou ao jornal inglês “The Independent”, em 2005. “É muito difícil sentir orgulho de sua sexualidade quando ela nunca lhe trouxe alegria, mas, quando você encontra uma pessoa que realmente ama... não é tão difícil assim”, continuou. “Anselmo rompeu minhas barreiras vitorianas e me mostrou como viver realmente, como curtir a vida”. Anos mais tarde, em 2007, Michael pediu que uma entrevista em que discutia seus temores de ser portador do vírus HIV fosse retirada de um documentário a ser veiculado pela BBC por ser “pessoal demais para a família de Anselmo rememorar”, segundo seu porta-voz. Produtor do documentário (“Stephen Fry: HIV and me”), Ross Wilson, no entanto, afirmou na época: “George disse que não acredita em testes de HIV”. Ele disse que acha que a espera por resultados é (uma dor) excruciante e que não fazia teste desde pelo menos 2004 por temores de poder ser soropositivo”. George Michael aparecerá num filme com estreia prevista, nos Estados Unidos, para maio de 2017. Ele é um dos astros incluídos no documentário “Sound it out: The untitled LGBTQIA music documentary”, do diretor americano Eric Aroxa. O tema do longa é a influência de artistas gays na cultura popular e na indústria do entretenimento. O elenco tem vários outros cantores, como Adam Lambert, Sam Smith e Halsey. Michael já foi atração de alguns documentários, como “George Michael at the Palais Garnier” (2014), “George Michael: A different story” (2005) e um episódio da série “Behind the music” (2004). Vários casos de generosidade do astro britânico começaram a surgir na internet, revelados por pessoas que receberam ajuda ou participaram de programas de caridade com ele. Em todos eles, uma característica comum: Michael pedia que seu nome fosse mantido em segredo. Veja alguns desses casos, reunidos pelo jornal britânico "The Sun". A série de revelações começou quando o apresentador do programa britânico "Pointless", Richard Osman, disse que Michael doou 15 mil libras (cerca de R$ 60 mil) para uma mulher que não podia bancar um tratamento de fertilização in vitro. Na época, Osman era produtor executivo do programa "Deal or no deal". Ele compartilhou sua história no Twitter: "Uma mulher no 'Deal or no deal' nos disse que precisava de £15k para um tratamento de IVF. George Michael telefonou em segredo no dia seguinte e deu para ela os £15k." Respondendo à mensagem de Osman, uma pessoa disse que Michael certa vez, num café, ajudou uma mulher que estava chorando por causa de dívidas. Para não ser reconhecido, deu um cheque para a garçonete e pediu que ela só entregasse quando ele tivesse saído: "ele deu para uma estranha num café £25k (cerca de R$ 100 mil) porque ela estava chorando por causa de dívidas. Pediu para a garçonete dar o cheque depois que ele saísse." Os atos de caridade de Michael não se limitavam a dar dinheiro para estranhos. Outra fã disse ele trabalhava de forma anônima numa casa para desabrigados, pedindo que os outros voluntários não revelassem sua identidade. "George Michael trabalhava anônimo numa casa para desabrigados onde eu era voluntária. Nunca disse a ninguém, porque ele pediu para não comentarmos. Ele era assim." Esther Rantzen, fundadora do ChildLine, entidade beneficente para crianças no Reino Unido, disse para a "Associated Press" que Michael doou milhões de dólares para a fundação durante os anos. "Pro anos ele tem sido o mais extraordinário filantorpo, doando dinheiro para o ChildLine, mas ele sempre manteve a determinação de não tornar essa generosidade pública, então ninguém fora daqui sabia o quanto ele ajudou as crianças mais vulneráveis do país", disse ela. "Ao longo dos anos ele nos doou milhões e estávamos planejando para o ano que vem, em nosso aniversário de 30 anos, um tributo a ele, um grande concerto para sua capacidade artística, sua maravilhosa musicalidade, mas também para agradecer as centenas de milhares de crianças que ele ajudou através do ChildLine." Em 2006, Michael fez um concerto gratuito para enfermeiras do Serviço Nacional de Saúde (o SUS britânico), em Londres, como forma de agradecer às enfermeiras que cuidaram de sua mãe. Desde então, enfermeiras ganhavam ingressos gratuitos para seus shows no Reino Unido. Na época da primeira apresentação, algumas conversaram com a BBC sobre a iniciativa. "Foi o melhor momento da minha vida. Era uma atmosfera tão vibrante, disse Ranjani Kendrick. "Agradeço a George Michael por nos fazer sentir valorizadas. Ficamos muito tocadas com os comentários dele. Fico feliz que nosso trabalho seja notado." Por fim, George Michael doou todos os royalties do hit de 1996 "Jesus to a child" para caridade. Além disso, os royalties de "Last Christmas/Everything She Wants" também foram doados para o combate da fome da Etiópia e todos os lucros de "Don't let the sun go down On me", para um hospital de tratamento de Aids em Londres e para a Rainbow Trust, que cuida de crianças. Nas quase quatro décadas de carreira, Michael vendeu mais de 100 milhões de álbuns. Sua popularidade nos anos 1980 e 90 se traduziu em vários prêmios, entre eles três Brit, um MTV e oito indicações ao Grammy, ganhando duas vezes. O cantor é considerado o artista britânico mais reproduzido nas rádios até 2004. Em 1991, ele se apresentou na segunda edição do Rock in Rio, no Maracanã. Seu último lançamento, o álbum ao vivo "Symphonica", saiu em 2014. Em dezembro, a imprensa internacional noticiou que o artista estava trabalhando em um novo disco com o produtor e compositor Naughty Boy. George Michael é considerado um dos astros do pop dos anos 1980 e anos 90, tendo também relevância nos anos 2000. Entre os seus grandes sucessos estão os singles Careless Whisper, Wake me Up before You Go­Go, I Knew You Were Waiting e Freedom!90.
Share this article
 
Copyright © 2014 BLOG DO RICKY • Some Rights Reserved.
Template Design by RICKY MEDEIROS • Powered by Blogger
back to top